“MARINA”

Marina morena Lima

Água de mina.

Gata arisca

Que em tudo se arrisca

E passa em revista

Sempre esta menina

Doce, safada, artista.

Músicas tuas me acompanham

Nas noites insones e solitárias

Ouço tua voz rouca

Que louca me deixa

De vontade de te conhecer,

De te saber

E de te querer ainda mais perto

Neste incerto caminho

De a mim também me ver.

De repente, entras no ar,

Nos meus ouvidos,

Com acordes queridos

E bem urdidos,

Que me fazem não estar mais só.

E de tudo só resta a dor

Do que eu queria te dizer,

Das saudades que eu tenho

Desta tua ausente presença,

Todas as noites a me dizer

De amor, sabor, calor,

No quarto escuro em que me perco da vida

E me acho renascida

Ouvindo você.

Escrito em 1º de março de 2003 por Cristina de Souza.