Discos de Catálogo » CLÍMAX (2011)

Publicado: 10/07/2011 | O tamanho real é de 235 × 236 pixels

Produzido por Edu Martins e Alex Fonseca

NÃO ME VENHA MAIS COM O AMOR
(Marina Lima/ Adriana Calcanhotto)

Não, nem vem que dessa você não se safa
Só eu sei te dar o melhor
Noites de subir pelas paredes, altas
Noites de incendiar o lençol
Noites de ver estrelas sobre o teto do quarto
Noites de aflorar o sabor
Noites inteiras com manobras de risco no ato
Só não me venha mais com o amor

A noite nos impõe essa cadência farta
De fluir e requebrar
Ondas violentas, olhos de ressaca
Salve as noites de se afogar
Quando pintam uns medos ou uns pensamentos,
Desses de esfriar o calor
Lembro das noites que tivemos de gozo e relento
Só não me venha mais com o amor

Só não me venha mais com o amor…

# SP FEELINGS
(Marina Lima)

Eu vou dançar conforme a lei do ar
E não vou, não vou deixar cair
Provas evidentes de um porvir
Que eu nem sei se ainda vão servir

Setas e luzes apontam
Pra tempos que podem durar
Revelações e tesouros
Dignos de uma Torah

Essa cidade faz meu som vibrar
E querer viver pra concluir
Tanta perspectiva nova, ímpar
Que só cidades grandes sabem produzir

Serras e brilhos apontam
Pra tempos que podem durar
Polaridades e sonhos
Dignos de Lady Gaga

Essa cidade me faz ver o mar
Nas ondas que essa gente toda traz
Japas, carros, beijos, bienais
Que ainda guardam muito do meu cais

Certos paulistas aprontam
E querem porque querem provar
As modalidades do mundo
E no meu ainda cabe cantar

São Paulo
São Paulo…

LEX (my weird fish)
(Marina Lima)
Música incidental: CANTO DE OSSANHA
(Baden Powell/ Vinícius de Morais)

No fundo do mar
De dentro do azul
Dois olhos brilhantes
Me viram adiante
Como vou embora

Is anybody home
Ana, Juca, little rome
Dois olhos cansados
Invocam os fados
Pra eu não, não mais partir

E mesmo que eu partisse
Atrás de outro chão
Meu coração é salgado
Pra terras sem imaginação
Queria mesmo morar
Às margens do seu Alentejo
Abrir meu peito e cantar
Abrir meu bico e contar
O drama dos seus olhos cheios

Palavras, mera embarcação
Na música, no mar
Dois olhos sedentos
De luz e alimento
Me fazem ficar
E embarcar de vez

Me fazem ficar
E embarcar de vez

Vai, vai, vai
Diz vou, não vai
Vai, vai, vai, vai, vai chorar
Diz dou, não dá
Coitado do homem que vai
Vai, vai, vai, vai

KEEP WALKIN
(Marina Lima)

I walk down the line
I feel I’m alive
The warmth of the brave
Has kept me awake

So now my dear
No more tears

The wind hits my face
It shivers inside
And whispers my trace
I’ve nothing to hide

So now my dear
No more fears

How awake must one be
To feel the light shine on thee?

Answers to come in a while
To brighten the pile
Of doubts and regrets
One’s kept in the nest

So now my dear
It’s, oh! So clear

Keep walkin…

A PARTE QUE ME CABE
(Marina Lima)
Participação especial de Vanessa Da Mata

“Vanessa, tá no meu disco!!!!!”

Em que altura
Deve se abrir mão
Das aventuras, dos riscos e da paixão
Se estamos vivos
Temos o direito de sentir
Será bonito ficar de longe e denegrir

A juventude
E os com fogo no coração
Quando as doenças e os medos são em vão
Em que medida
Envelheceremos bem
Olhando os outros sem doçura e com desdém

Cada um é único no mundo
E nisso todo mundo é igual
Uns resolvem tudo num mergulho
Outros seguem em busca de um ideal

Me deixe quieta com a minha solidão
A vida é minha e também meu coração
E se você já encontrou a sua parte
Me deixe em paz atrás da parte que me cabe

Cada um é único no mundo
E nisso todo mundo é igual
Uns resolvem tudo num mergulho
Outros seguem em busca de um ideal

Me deixe quieta com a minha solidão
A vida é minha e também meu coração
E se você já encontrou a sua parte
Me deixe em paz atrás da parte que me cabe

Me deixe em paz atrás da parte que me cabe

…em que altura.

DE TODAS QUE VIVI
(Marina Lima)

Mas que final estranho
E como nós erramos
Com tudo que houve
Não sei quem é você
Com tudo que não houve
Lamento nos perder

Sombras me perseguem
E eu lhe pego em todas
Que me fazem delirar
Te temer e te achar
De todas
A estória mais doida que vivi

Volta e meia eu tremo só de me lembrar
Confundo tons e línguas de se admirar

Wy not shout to reach the island
That we built around our silence
Let’s put down some doors
Let’s settle our sores
So we can take a chance on us.

Volta e meia eu tremo só de me lembrar
Confundo trens e rimas de se admirar

Sombras me perseguem
Ah, e eu viajo em todas
As estrofes, as nações
No chiado e nos sons
De todas
A estória mais doida que vivi

I’ve still some hope inside me
Let’s pray that it will guide me
Through this portuguese shores
And this madness of yours
So we can take a chance on us.

CALL ME
(Tony Hatch)

If you’re feelin’ sad and lonely
There’s a service I can render
Tell the one who loves you only
I can be so warm and tender

Call me, don’t be afraid, you can call me
Maybe it’s late but Just call me
Tell me and I’ll be around

When it seems your friends desert you
There’s somebody thinking of you
I’m the one who never hurt you
Maybe that’s because I love you

Call me, don’t be afraid, you can call me
Maybe it’s late but just call me
Tell me and I’ll be around

If you call I’ll be right with you
You and I should be together
Take this love I long to give you
I’ll be at your side forever

Call me, don’t be afraid, you can call me
Maybe it’s late but Just call me
Tell me and I’ll be around

DOCE DE NÓS
(Marina Lima)

Qual de nós
Vai olhar o placar
Quem vai decidir
Já raiou
E eu prefiro cozinhar
Restos da calda de mel

Que serviu
Pra nós dois
Outros tempos assim
Já nos adoçou
Eu por mim
Te apertava contra mim
Até essa dor flutuar

É um jogo violento
É meio mal versus bem
Vamos ficar atentos
E nos darmos bem
O amor às vezes pira
E gosta de provocar
Causa as maiores brigas
Só pra testar o ar

Então passe o sal
Ou desligue o motor
Só não saia daqui
Vem treinar a medida do amor
Vem me invadir

DESENCANTADOS
(Marina Lima/ Alex Fonseca/ Karina Buhr/ Edgard Scandurra)
Participações especiais de Karina Buhr e de Edgard Scandurra

Os dois cansados
De tanto amar
Empapuçados
Pra poder fugir

Os dois cansados
De viajar
Maravilhados
Pra poder fugir

Enquanto você se afasta me desenterro
Bem melhor me deixasse ir
Pro meu lado
Brincávamos de ir para o outro
Chega de corpo (segredo)
Que muito me encanta e mais me dá medo

Encontrávamos desencantados
E sem direção
Pra poder fugir

Enquanto você se afasta me desenterro
Bem melhor me deixasse ir
Pro meu lado
Brincávamos de ir para o outro
Chega de corpo (segredo)
Que muito me encanta e mais me dá medo

Encontrávamos desencantados
E sem direção
Pra poder fugir

Encontrávamos desencantados…

AS ORDENS DO AMOR
(Marina Lima)
Voz incidental de Edu Martins

Às vezes eu choro
Pra poder lembrar de mim
Às vezes eu rio assim
Se bem que eu sorrir não é raro
Mas raro pedir

Pra aquela pessoa
Nunca se distanciar
De uma estória
Que muda a cada despertar
Por isso venho pedir, frisar
Pra sempre as suas redes
Vão poder guardar
Os sonhos, os planos
De amar

Engraçado como
A vida se encarregou
De bem lentamente
Mostrar a quem comanda o show
Toda mobília, as gírias, a cor
E em todos os domínios
De onde vim e vou
Ecoam as ordens do amor

“Resista ao impulso de se atormentar
Saia a faça algo de bom por alguma outra pessoa
Invista um pouco de tempo ajudando os outros com os seus problemas
Quando você sai do próprio caminho, as soluções vêm a você quando você menos espera
Resista ao impulso de se atormentar
Saia a faça algo de bom por alguma outra pessoa
Invista um pouco de tempo ajudando os outros com os seus problemas…”

Me leve na lua
Que eu também vou te mostrar
De outra altura
Imagens que compõem o ar
São edifícios, são discos, são céus
Que arranham nos domínios
Cheios de calor
À espera das ordens do amor

PRA SEMPRE
(Samuel Rosa/ Marina Lima)
Participação especial de Samuel Rosa

Acho que agora vejo
Acho que encontrei
O que havia e sempre procurei
Não veio das montanhas
Nem estava nesse mar
Mas de um clarão do seu olhar

Tive estórias tristes
Que só eu bem sei
Mas que o tempo fez transformar

Só assim pra sentir o beijo
Só assim pra reconhecer
A diferença entre outros e você

Como vale arriscar na vida
Como é bom amadurecer
E te encontrar assim por merecer

Tive estórias tristes
Que só eu bem sei
E que o tempo fez transformar
Em vitórias, brilhos
Que me levam a crer nesse forte ímpeto de amar

Amar você
Pra sempre (4x)

Sei que agora vejo
Sei que eu encontrei
O que havia e sempre procurei
Tendo você comigo
Há tanto pra sonhar
E um universo inteiro pra alcançar

Tive estórias tristes
Que só eu bem sei
E que o tempo fez transformar
Em vitórias, brilhos
Que me levam a crer nesse forte ímpeto de amar

Amar você
Pra sempre (4x)

Tive estórias tristes…

Amar você
Pra sempre (4x)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s