2010

6 de Janeiro. (Folha Online) “De mudança para São Paulo, Marina Lima quer ‘começar de novo'” – Como na letra de uma de suas baladas mais famosas, Marina Lima, 54, procura agora por outros olhos e armadilhas. A cantora está de mudança para São Paulo. Ensaia show com repertório basicamente inédito, dirigido pelo arquiteto Isay Weinfeld. E que deve gerar um CD de estúdio neste ano. Também está previsto para 2010 o primeiro livro, “Entre as Coisas”, “quase um almanaque” que reúne, segundo ela, “as coisas que me interessam: o mundo da música, do canto, das mulheres”. E, por fim, o DVD que registra o emblemático show “Primórdios”, dirigido por Monique Gardenberg em 2006. Marina recebeu a reportagem da Folha no estúdio em Porto Alegre onde ensaia com sua banda. “Porto Alegre me parece ser um lugar de muita gente de ponta. Leia-se: à frente. Leia-se: maluco”, brincou. (da Folha de São Paulo, em Porto Alegre)

Folha – Você já viveu algumas temporadas em São Paulo. No que sua saída do Rio é diferente agora?

Marina Lima – Agora, vou sair para viver. Quero começar minha vida. Recomeçar de outro ponto, em outro lugar. Tem um “começar de novo” nisso, mas tem também um continuar. Quando quis estudar guitarra, fui para São Paulo. Quando quis entender a linguagem dos computadores, fiz a mesma coisa. A cidade me atrai. É como se estivesse me mudando para outro país que fala a mesma língua.

F – Uma espécie de desafio?

M – Começar tudo de novo em outra cidade é uma grande mudança. Domino o Rio. A cidade me é familiar, é fácil viver nela. Mas estou muito isolada. O que tenho no Rio? Minha casa, meus familiares, mas não tenho muito com quem trocar.

F – Isolada como? A sua turma não é mais…

M – Não faço parte de turma, nunca fiz. Do auge do meu sucesso até agora, era só eu e o [irmão Antonio] Cicero. Não sou do Asdrúbal, não sou da turma dos baianos. Acontecem coisas singulares comigo no Rio. Vou ao cinema sozinha, faço tudo sozinha.

F – Vai vender a casa no Rio?

M – Minha casa não é mais minha. Morei anos sozinha em uma cobertura enorme na Lagoa. Pensei muitas vezes: “De que me adianta essa vista?” Vendi aquela cobertura e aluguei um apartamento em Ipanema sem vista nenhuma, só com vista para dentro. E muito menor. Está tudo espremido. Então São Paulo representa, agora, voltar ao paraíso.

F – Mudanças pessoais estimularam a mudança de cidade?

M – Envelheci e passei a investir em outras coisas, em estar mais em casa, ler, ficar no computador. E gostei. É como se agora isso não fosse mais perda de tempo. No Rio, viver assim não funciona muito porque você para de circular em lugares centrais para a coisa social continuar acontecendo.

F – Você registrou um de seus shows mais emblemáticos, “Primórdios”, que seria lançado em DVD…

M – “Primórdios” parecia ser minha grande volta aos palcos. Porque “Sissi na Sua” [show de 2000], que teria sido essa volta, era muito radical. Eu estava saindo daquela loucura toda [perda da voz causada por depressão], era um show sobre as dificuldades que as pessoas que não se adequam têm de passar para não morrer.

F – O público não entendeu?

M – Alguns nerds se conectaram, mas não o grande público. Eles esperavam aquela Marina, e aquela Marina não voltou. Aquela nunca mais vai voltar. Não existe volta. Existe a continuidade das coisas. Aquele show representava um esforço para dizer: “Eu não fui, eu não morri, a loucura não me sucumbiu, eu consegui voltar”. Mas não voltei igual, voltei talvez até ameaçadora para quem está acomodado. Para algumas pessoas, a vida não tem crise.

F – Falar abertamente sobre depressão incomoda, é isso?

M – Acho que é um estigma. Fui fichada porque tive depressão, marcada que nem gado. É como ficha na polícia. Tem gente que fica fingindo. O Silvio Santos, por exemplo. Ninguém quer saber se o cara teve derrota, se tem problemas pessoais. O que interessa para o mundo é aquele sorriso dele. Não faço essa linha. Sou fascinada pela vida, com a dor que isso possa implicar.

F – O DVD vai sair?

M – Vai. Mas não vou dizer datas. Fiquei constrangida porque andei divulgando prazos de lançamento de um livro que está sendo feito, mas não consegui cumprir porque não depende de mim. Se eu fosse dona da banca… Meu tesão por esse ofício voltou com tudo, e a idade pode ser um fator determinante nisso. É a proximidade da morte. Mas, enquanto estou viva, o conhecimento me excita. O mundo anda, e você não pode achar que é uma obra acabada. É uma obra em aberto. A não ser que queira ficar lá, cristalizada. Não é o meu caso.

31 de Janeiro. Marina Lima curtiu o Bailinho, no Rio, nesse domingo.

1º de Fevereiro. (Revista Estilo) “Bailinho tem Marina Lima como DJ convidada” – Ontem foi dia de fechar o fim de semana com Bailinho. E a festa está cada vez mais produzida. Agora, pra ficar com ainda mais cara de verão, alguns “banhistas” tomam sol em cangas, lêem revistas e batem papo na área externa do evento. Uma instalação criativa e que faz o maior sucesso. Ontem a DJ convidada foi Marina Lima, que flagrei nas carrapetas ao lado de Rodrigo Penna (a fumaça é efeito especial da festa!) Ela foi de hits dos anos 80, como “Fixação”, do Kid Abelha, ao pop de Britney Spears, com Toxic. (por Manuella Menezes)

2 de Fevereiro. (Jornal O Globo) Marina Lima posa com Rodrigo Pena, o ator que promove o Bailinho, festa dos decolados na qual a cantora fez um bico de DJ.

14 de Fevereiro. (Abril.com) Marina Lima se credencia para o camarote da Brahma.

22 de Fevereiro. Marina Lima marcou presença no camarote da Devessa, sábado, no desfile das campeãs.

28 de Fevereiro. (JBlog.com.br) “Tempos de Marina” – A cantora solta a voz e fala sobre novos rumos, sexualidade, Rio, SP e Internet.  (enviado por: Heloisa Tolipan)

Heloisa Tolipan – Você está ensaiando para o show em São Paulo e teremos um CD pós-espetáculo nos moldes de “Primórdios”. Essa contramão show-CD é uma marca registrada?

Marina Lima Não diria que é uma marca, mas o caminho que encontrei para viabilizar estes projetos, tanto o “Primórdios” quanto o novo. A partir do sucesso que obtivemos de crítica e público com o show “Primórdios”, em São Paulo, foi mais fácil conseguir uma parceria para a distribuição do CD em seguida. Acho que, hoje em dia, com a crise do mercado de discos, mostrar o show antes com o repertório novo ajuda a criar um interesse e parceria para o CD, depois.

HT – Você está à procura de um teatro para o seu show em São Paulo. Por que não uma casa de shows?

ML Poderá ser também uma casa de shows. A dificuldade é encontrar um bom local, que tenha datas livres entre abril e maio. E não só em SP. No Rio também está complicado. Mas vai rolar, tenho certeza.

HT – Você se mudou para São Paulo? O que a atrai na capital paulista? Você também trocou a cobertura na Lagoa por um apê em Ipanema. E o seu Rio de Janeiro?

ML Eu estou part-time aqui, no Rio, e em São Paulo. Muitas coisas me atraem em SP: a diversidade cultural, essa quantidade enorme de exposições, shows, mercado de trabalho e pessoas queridas. Mas você disse bem, “o meu Rio de Janeiro”… sempre será o meu Rio. Nasci aqui, entendo aqui, me movimento bem aqui… Mas quero São Paulo também. Afinal, somos brasileiros, não somos? Então, é tudo nosso.

HT – No seu blog, você diz que o Facebook não te interessa. O que a atrai nas redes sociais da internet?

ML Não é que o Facebook não me interesse, tenho o MySpace (muito melhor para músicos e mais específico), o site com o meu blog e, agora, também o Twitter. Não me sobra mais tempo para outros! Por mais que goste e use a internet, preciso de tempo para outros interesses meus.

HT – Você tem pudor em falar sobre sexualidade?

ML Olha, falo se acho que cabe no contexto. Não gosto de expor as coisas gratuitamente. Sou uma pessoa naturalmente reservada.

HT – Está escrevendo um livro, ?

ML Sim. Conto um pouco sobre a minha relação com as coisas que gosto, que me interessam, que pegam a minha atenção. Terá textos, uns artigos que escrevi, algumas partituras, entrevistas, letras, fotos… Quase um almanaque. O nome será “Entre as coisas”. Quem está me ajudando na organização dele é o professor Fernando Muniz, um amigo querido que, junto com a Connie Lopes, me incentivou a fazê-lo.

HT – Quem é Marina Lima hoje?

ML Querida… que pergunta difícil… Me falta ainda um poder de síntese melhor para lhe responder isso… Por que não diz você? (risos) Nota da colunista: Digo sim. Marina é uma das maiores artistas do país, um ser humano que tem consciência do seu papel na sociedade, sabe onde pisa e aonde quer chegar. Uma cantora com alma de artista, mas com espírito de guerreira e que nos dá orgulho.

2 de Março. Mais um ano do website “O Encanto de Marina Lima” (São 9 anos de sucesso!).

18 de Março. (Gente.ig.com.br) “Marina Lima em busca de um lar em São Paulo” – Na primeira fila do desfile de Cris Barros, em São Paulo, nessa quarta-feira (17), Marina Lima contou que ainda está em busca de um lugar para chamar de seu na capital paulista. Ela ainda não encontrou o imóvel ideal, mas já sabe para qual bairro pretende levar seus livros e discos. “Gosto de Higienópolis, mas por motivos pessoais, ainda estou morando no Rio”, disse, referindo-se à mãe, que está doente. Nos últimos tempos, a cantora passou um temporada em Porto Alegre, de onde é a sua banda. Em tempo: Marina avisa que vai ser em maio o show que fará com direção do arquiteto Isay Weinfeld e repertório inédito. Na seqüência, ela lançará um CD. (por Renata Reif, especial para o iG)

19 de Março. (Sortimentos.net) “Fragrâncias OX Cosméticos perfuma o lançamento da estilista Cris Barros” – Inovadora e criativa, a OX Cosméticos decidiu perfumar o prédio da Dacon, em São Paulo, onde a estilista Cris Barros lançou sua coleção de inverno. Os convidados, entre eles a cantora Marina Lima, receberam como mimo um difusor de essências com os exclusivos óleos Lótus e Tiaré, especialmente desenvolvidos por Cris Barros e pela OX para perfumar ambientes. O evento aconteceu no dia 17 de março.

22 de Abril. Marina Lima se apresentou para os participantes do evento corporativo IT Forum, no Iberostar Praia do Forte Hotel, na Praia do Forte – BA.

6 de Maio. (Revista Caras/Caras.com.br) “Marina Lima aprecia o belo” – Entre 29 de abril e 2 de maio, o icônico prédio da Bienal, no Parque do Ibirapuera, na capital paulista, abrigou um dos maiores encontros das artes plásticas na América Latina. Em sua 6ª edição, a SP-ARTE – Feira Internacional de Arte de São Paulo reuniu mais de 2500 obras de 1400 artistas renomados e jovens talentos de 70 galerias do Brasil e outras 10 de países como Argentina, Uruguai, México, Estados Unidos, Espanha, França e Inglaterra. Oportunidade de ouro para apreciar também coleções particulares e de museus como o inglês Tate Modern. No coquetel vip, na quarta, 28, Marina Lima (54) era das mais entusiasmadas. “O evento é incrível. As galerias colocam os trabalhos que vendem ali, todas juntas, o que facilita para nós, interessados em artes plásticas. Num só lugar, se pode ver e comprar trabalhos variados, um Hélio Oiticica, um Volpi, um Chelpa Ferro (grupo de artistas cariocas), todos na mesma feira! Realmente, adorei”, diz a cantora, que agora se divide entre SP e Rio.

7 de Maio. (O Fuxico.com.br) “Marina Lima e Ellen Jabour assistem palestra com líder da Cabala” – Um dos mestres de Madonna, na cabala, o rabino Yehuda Berg, está no Brasil pela primeira vez e ministrou, na noite de quinta-feira (6), uma palestra no hotel Sheraton, no Leblon, na Zona Sul do Rio. Atentas aos ensinamentos, Marina Lima e Ellen Jabour assistiram à palestra de Yehuda, codiretor do Kabalah Center. Além de Madonna, ele é professor de Demi Moore e Ashton Kutcher. (por Flavia Almeida)

19 de Maio. (Iguatemisp.com.br) Marina Lima mostra seu vasto repertório musical em única apresentação no One Week, Lounge One do Shopping Iguatemi em São Paulo.

27 de Maio. (Moda.terra.com.br) “Acquastudio tem trilha sonora de Marina Lima em desfile” – A marca Acquastudio fechou o primeiro dia de desfiles do Fashion Rio, no Píer Mauá, ao som de Marina Lima. Com uma cartela de cores quentes como o pink, laranja e um tom de verde limão fluorescente, Acquastudio trouxe para sua passarela vestidos estruturados que lembravam formas arquitetônicas. Muita sobreposição como no look de mil folhas que formavam pregas, rolos, gravatas, espirais, caracóis e escamas a grife teve como resultado um verão inusitado. Ao som de Marina Lima que assistiu ao desfile na fila A, Esther Bauman apostou em vestidos curtos com base rendada que criou um efeito de lingerie. Ombros estruturados e muito volume foram a nota do desfile, inclusive nas cabeças das modelos que usaram uma espécie de capacete do jogo de rúgbi, um tentativa de unir alta costura as atividades esportivas. Nos pés, sandálias de verniz com saltão plataforma de acrílico, todos feitos por Fernando pires. Ao fim do desfile a cantora carioca Marina Lima declarou não estar surpresa por ter sido escolhida para ser a trilha, “já sabia” ela disse. Com bastante pressa e sendo puxada por seu assessor, Marina Lima mostrou-se emocionada, “to super contente, emocionado até”. Questionada sobre sua intimidade com a moda a cantora usou a famosa frase “Adoro moda. É como dizem você é o que você usa”. (Direto do Rio de Janeiro)

(Gente.ig.com.br) “Marina Lima visita o Fashion Rio e fala sobre moda e uma vitória particular conquistada através da internet” – Marina Lima sem dúvida alguma é uma cantora com personalidade. E essa expressão única também é proporcionada através da moda, como ela mesma atestou minutos antes do começo do desfile da Acquastudio, na noite de quinta-feira, que encerrou o primeiro dia da maratona da moda carioca no Píer Mauá. “Não é novo dizer que moda é uma maneira de se expressar, mas é sempre bom ter esse viés em mente. A gente é capaz de reconhecer tribos, gosto e até atitudes através daquilo que se veste. Comigo não é diferente”, disse. A cantora se sentou na primeira fila da grife e começou a bater papo com o produtor e diretor de TV Candé Salles. Minutos depois, quem se juntou ao grupo foi o DJ Zé Pedro, que foi assistir ao desfile fora da mesa de som – para variar. Foi o suficiente para o espaço ficar mais animado. Marina então falou o que está proibido em seu closet. “Quase nada é proibido, talvez roupa de bailarina rosa ou um look Isabelita dos Patins. O resto vale! Gosto muito de vestidos e saias, por exemplo. Presto atenção na moda porque é um assunto que me interessa. Quando vou fazer um show, dou pitaco no figurino, mas não sou uma atriz, que precisa ter uma roupa específica. Dou dicas para ajudar à produção a captar aquilo que é a minha personalidade, que é o que vai estar no palco”, disse a cantora. Marina está feliz da vida com uma novidade, que ela contou em primeira mão para o iG Gente. Na próxima segunda-feira (31) ela vai apresentar um pocket show no Teatro dos Quatro, no shopping da Gávea, zona sul carioca, fruto de uma votação na internet. “Toda segunda-feira um artista se apresenta lá e é o público que escolhe através de votação online. Achei o máximo terem escolhido o meu nome. Vou apresentar um repertório com seis músicas novas e outros sucessos revisitados”. (por Bia Amorim, iG Rio de Janeiro)

28 de Maio. (RG Vogue)  RG adora um show da Marina Lima, cantora ícone dos anos 80, hitmaker total e cheia de material novo para mostrar. Aparentemente, tem bem mais gente que é fã dela. Num pit stop no Fashion Rio, no primeiro dia de evento, a Marina contou pra gente que faz show no teatro do Shopping da Gávea nesta segunda-feira (30.05). “A ideia é ótima, porque faz parte de um projeto no qual o artista é escolhido pela internet”, explicou. Votação aberta, sabe? E a Marina ganhou.  A apresentação carioca, para esclarecer, não faz parte da aguardada turnê que ela estreia no segundo semestre, Clímax. “Mas já mostro um pouco deste trabalho. São sete músicas novas e alguns clássicos”, continuou a cantora, que fez apresentação do tipo no Iguatemi, em São Paulo. A diferença é que no Iguatemi eram 50 pessoas na plateia. Agora são mais de 400. Pós Gávea, Marina segue com a preparação de Clímax. E está animadíssima com o trabalho. “É uma turma muito boa. Tem todo um trabalho do Isay Weinfeld (ele assina a concepção). A gente já trabalhou junto em Primórdios, e ele é um grande amigo.” Os outros integrantes da trupe? “O Pedro Igor e o Beto Amaral, os produtores, e a Helena Linhares, que assina o figurino.” E por falar nas roupas: “Eu sempre gostei de moda. Moda é um código, é a forma que você aparece. O figurino do show é casado com a concepção dele”, explicou sem entregar o que vai usar. A estréia? “Deve ser em agosto. Vamos começar em Porto Alegre, porque ensaiei muito lá, e porque é cidade de grande parte da banda.” Pós Porto Algre, Clímax aterrissa em São Paulo antes de seguir em turnê pelo Brasil todo. Só para encerrar, este site quis saber se a Marina vai acompanhar mais algum desfile. “Estou corrida com show e com os ensaios, mas vou tentar voltar. Quero ver o desfile da Lenny. Fora a festa dela, que é sempre uma das melhores coisas da temporada.” A gente também acha. (por Redação)

(Brpress.net) “Fernanda Abreu copiou Marina Lima?” – Uma desconfortável e desconsertante semelhança assombra o novo disco de Fernanda Abreu – bem, novo é modo de falar, porque a recém-lançada coletânea Perfil não traz nada de novo, apenas relembra sucessos como Da Lata e Rio 40 Graus. O problema é que a capa é muito parecida, quase igual à do CD de Marina Lima, O Chamado (1993), criado por Gringo Cardia. Veja e compare – o conceito e a foto são quase os mesmos. Quem assina a foto da capa do CD de Abreu é Fernando Torquatto. Ninguém comentou nada, a não ser blogs musicais como o do antenado jornalista carioca Mauro Ferreira. Perfil está nas lojas e celebra os 20 anos de carreira solo de Fernanda Abreu. Novamente, seria mais interessante chegar a esse marco em atividade e produzindo novas pérolas como as que a ex-Blitz e parceiros já provaram ser capazes de criar. E com uma capa tão elegante como – mas criativa, como a própria Fernanda. (por Juliana Resende)

31 de Maio. (Egobywill.com.br) Povo, tem música nova da Marina Lima na rede, para ensolarar nossos olhos. Atende por “Não me venha com mais amor”. A princípio a artista ficou p… da vida, mas agora, através de seu Twitter diz que relaxou. (by Will)

(Blogdomauroferreira.blogspot.com) “Marina alinhava o repertório inédito de ‘Clímax’” – Aos poucos, Marina Lima já alinhava o repertório inédito de seus próximos disco e show, Clímax. Um dos trunfos da safra é Não me Venha Mais com Amor, primeira parceria com Adriana Calcanhotto. Outra novidade é Lex, feita com inspiração em Lisboa (Lex é a sigla do maior aeroporto da capital de Portugal). Também fazem parte desse novo repertório Doce de Nós e um samba, A Parte que me Cabe. Clímax, o show, tem estréia prevista para o segundo semestre de 2010, em São Paulo (SP). Quem assina a direção é o arquiteto Isay Weinfeld. Na seqüência, talvez somente em 2011, a cantora vai lançar o disco de estúdio que registra o repertório inédito lançado no show. Exatamente como Marina fez com Primórdios, o show de 2005 que originou, em 2006, o bom álbum Lá nos Primórdios. (por Mauro Ferreira)

Junho. (Flamboyant.com.br) “Flamboyant In Concert 2010 apresenta Marina Lima” – No dia 8 de junho, a partir das 19 horas, o palco do Flamboyant In Concert (Deck Parking Sul do Flamboyant Shopping Center, em Goiânia – GO), recebe a cantora Marina Lima, considerada um dos ícones da música popular brasileira. Na oportunidade, ela irá apresentar grandes sucessos como “Fullgás”, “À Francesa” e “Virgem”, além de canções inéditas que farão parte do novo trabalho com estreia prevista para 2011.

(Revista Mitsubishi) “Alma Inteira” – Marina me recebe dentro de um luxuoso quarto de hotel paulistano. Nossos encontros costumam ser em quartos de hotel, penso quando entro. O primeiro foi há seis anos, no carioca Marina. Ela estava saindo de uma depressão e me impressionou a intensidade com que ruminava e deglutia todas as perguntas. Não é comum que o entrevistado leve a entrevista desse jeito tão analítico. Mas Marina é uma mulher intensa; e extremamente metódica, confissão que faz quando me vê observar duas garrafas d’água, uma com gás e outra sem, na mesinha que fica na ponta do sofá onde devo me sentar. “Ah, aquele é o lugar que fiz para você”, diz quando me sento na ponta errada. “Não sei se prefere água com ou sem, então coloquei uma de cada.” Ainda andando pelo cômodo, enquanto termina de arrumar a mala (ela voltaria para o Rio logo depois da entrevista), me conta que a mãe está com leucemia e que muita coisa mudou em sei anos. “Vendi a cobertura da Lagoa com vista para o mar onde morei por doze anos, aluguei um apartamento em Ipanema com vista para dentro e perdi um irmão.” De constante mesmo, apenas aquilo que Lea chama de clã: seus três cachorros. Ao contrário do que possa parecer, as palavras vão saindo dela sem peso, sem fardo. Tudo em Marina parece estar sendo resolvido, analisado. Noto que estamos prestes a entrar em ambientes cheios de revelações e reflexões. Peço para ligar o gravador… (por Milly Lacombe)

1º de Junho. (Blogdomauroferreira.blogspot.com) “Marina apresenta cinco inéditas na volta ao Rio” – Afastada dos palcos cariocas desde 2008, Marina Lima aproveitou a oportunidade de voltar a cantar no Rio de Janeiro (RJ) – por ter sido a artista mais votada do projeto Peça MPB – para apresentar em primeira mão aos seus conterrâneos uma das músicas inéditas, Keep Walking, que vão figurar no repertório de seu próximo disco e show, Clímax. Balada de energia roqueira, composta em inglês, Keep Walking foi uma das boas novidades do roteiro do show feito pela artista no Teatro dos Quatro, na noite de 31 de maio de 2010. A cantora – vista em fotos de Mauro Ferreira – também mostrou as inéditas Doce de Nós, Não me Venha Mais com Amor (parceria com Adriana Calcanhotto), Lex (cujo arranjo remete ao som do grupo Radiohead) e A Parte que me Cabe. Entre hits como Fullgás e Virgem, Marina arriscou ainda releitura cool de Call me, sucesso de Chris Montez em 1965. Eis o roteiro do show Marina Lima em Revista, que, ao contrário do que faz supor o título, aponta para o futuro e mostra que Marina (ainda) esbanja atitude e estilo: 1. Fullgás (Marina Lima e Antonio Cícero) 2. Doce de Nós (Marina Lima) 3. Charme do Mundo (Marina Lima e Antonio Cícero) 4. Não me Venha Mais com Amor (Marina e Adriana Calcanhotto) 5. Call me (Tony Hatch) 6. Três (Marina Lima e Antonio Cícero) 7. Me Chama (Lobão) 8. Tempestade (Zélia Duncan e Christian Oyens) 9. O Chamado (Marina Lima e Giovanni Bizzotto) 10. Keep Walking (Marina Lima) 11. Lex (Marina Lima) 12. A Parte que me Cabe (Marina Lima) 13. Virgem (Marina Lima e Antonio Cícero) 14. À Francesa (Cláudio Zoli e Antonio Cícero) Bis: 15. Mesmo que Seja Eu (Roberto Carlos e Erasmo Carlos) Bis 2: 16. Deixe Estar (Marina Lima e Antonio Cícero). (por Mauro Ferreira)

(Blogdomauroferreira.blogspot.com) “Marina expõe urgências a caminho do ‘Clímax’” – Título: Peça MPB – Marina Lima em Revista Artista: Marina Lima (em fotos de Mauro Ferreira) Local: Teatro dos Quatro (RJ)  Data: 31 de maio de 2010 “Este não é um show novo… Ainda não é o Clímax… É um show a caminho de…”, conceituou Marina Lima, logo após apresentar a inédita Doce de Nós para o público antenado que encheu o Teatro dos Quatro, no Rio de Janeiro (RJ), na noite de 31 de maio de 2010. Havia um clima de expectativa no ar. Era, afinal, a volta de Marina aos palcos cariocas – após ausência de um ano – e era também a primeira vez que seus fãs cariocas iriam conhecer ao vivo o repertório inédito que a artista já alinhava para formatar o roteiro do show Clímax, ainda sem data certa para subir à cena (cogita-se que seria em São Paulo no segundo semestre, mas, por ora, nada há de concreto). De quebra, o público ouviu Marina refazer antigas incursões pelos repertórios de Lobão (Me Chama, perfeitamente ajustada ao tom quente do show), Zélia Duncan (Tempestade, belo momento do roteiro) e Erasmo Carlos (Mesmo que Seja Eu, com pausas inusitadas que revalorizaram o número). A expectativa foi cumprida. A caminho do Clímax, aos 54 anos, Marina expressa dores, inquietudes e urgências típicas do que se pode chamar maturidade. “Me deixe quieta com a minha solidão/ A vida é minha e também meu coração/ E, se você já encontrou sua parte,/ Me deixe em paz/ Atrás da parte que me cabe”, suplica em versos de A Parte Que Me Cabe, pseudo-samba em que confronta sentimentos e atitudes da juventude com as aspirações da tal maturidade. Marina já parece saber que nada será como antes. E não é. Mesmo os velhos sucessos – como Charme do Mundo (1981) e O Chamado (1993) – soaram novos, repaginados para os tempos modernos pelas programações eletrônicas urdidas pelo baixista e guitarrista Edu Martins. A voz, que ameaçou não sair no primeiro frio número, Fullgás (1984), acabou vindo para ajudar Marina a expressar toda a atitude que há em inéditas como Não me Venha Mais com Amor – primeira parceria com Adriana Calcanhoto, já em rotação em rádios de São Paulo (SP) – e também na abordagem cool de Call me, o tema gravado por Chris Montez em 1965, reminiscência da “pré-adolescência” de Marina, como ela contou no show. Ao desconstruir o ritmo da música, a cantora evidencia a pungência escondida na letra escrita por Tony Hatch na forma de recado para o ser amado em (imaginado) sofrimento. Recado é também o que Marina manda através dos versos de Lex, inédita envolta em arranjo que evoca o som cheio de camadas do grupo inglês Radiohead. “Teus olhos cansados evocam os fados para eu não mais partir”, relata Marina, expondo dor de amor vivido em Lisboa. Em Lex, ficam evidentes a firmeza e a atitude da artista. A energia posta na interpretação valoriza música que, numa primeira impressão, não reedita a inspiração melódica de tempos áureos – evocada no recente tango Três (2006). Doce de Nós deixa a mesma sensação. Mas fica boa impressão de Keep Walking, balada embebida em clima roqueiro. E, em português ou em inglês, as letras continuam invariavelmente interessantes. Até porque, em cena, com sua guitarra encorpando o som produzido pelo trio esperto, Marina Lima ainda parece ter todo o charme do mundo. Nesse show de transição, pontuado por interrupções e reclamações sobre o som, fica claro que a artista está em sintonia com os dias de hoje, driblando as limitações vocais com bravura – atestada pelo sons guturais emitidos em O Chamado – e expondo as urgências existenciais de quem tem o charme – mas já não todo o tempo… – do mundo. Marina vai chegar ao Clímax com atitude! (por Mauro Ferreira)

3 de Junho. (Infinitivamente Pessoal) “Boletim Clímax: Marina Lima em Revista” – À caminho do ‘Clímax’, Marina decidiu cair na estrada para testar o repertório do que virá a ser o próximo show. A cantora se apresentou segunda-feira (31/ 05) no Teatro dos Quatro, no Rio de Janeiro, dentro do projeto ‘Peça MPB’, tendo sido a artista mais votada para realizar o show. Marina, que ficou 2 anos sem se apresentar no Rio, voltou para apresentar o show ‘Marina Lima em Revista’ que, ao contrário do que o título faz supor, aponta para o futuro. Ela apresentou 5 canções inéditas: “Doce de Nós”, “Lex”, “Não me Venha Mais com Amor”, “A Parte que me Cabe” e “Keep Walking”. Cantou sucessos, dentre eles “O Chamado”, “Charme do Mundo” e “Me Chama”, canções da memória afetiva (“Call Me” – sucesso de Chris Montez de 1965, composta por Tony Hatch), revisitou hits (“Mesmo que Seja Eu” e “Deixe Estar”) e entoou hits eternos (“Fullgás” e “Virgem”). (por Bruno Cavalcanti)

19 de Junho. (Caras.com.br) “Cantora faz temporada de ensaios em Porto Alegre” – A cantora carioca Marina Lima prepara-se para estrelar um novo show ainda neste semestre, em São Paulo, e escolheu o Sul para sediar uma intensa rotina de ensaios. Marina, que tem um escritório em Porto Alegre, esteve recentemente na cidade, onde passou temporada e ensaiou nos estúdios da DDA Produções, acompanhada pela experiente produtora Bia Wetzel, da Be Produções. Quem dirige o espetáculo é Isay Weinfeld, e a cantora também conta com os reforços do produtor musical Edu Martins, paulistano que adotou a capital gaúcha, e Fernando Sessé, percussionista da turnê. Adepta a uma alimentação balanceada, nos intervalos dos ensaios Marina pode ser vista apreciando as delícias de um dos mais tradicionais restaurantes da capital, o Barranco. Simpática e receptiva, a cantora atendeu com carinho o assédio dos fãs.

7 de Julho. (Revista TPM # 100/Revistatmp.com.br) “Marina Lima conta o que ainda quer fazer na vida” (por Lu Yoshikawa) – Marina Lima, 54 anos, cantora: “Eu gostaria de aprender a jogar xadrez. É um desejo antigo, que por alguma razão nunca consigo realizar.”

12 de Julho. Morre Paulo Moura.

29 de Julho. (Jornal O Globo) “Leblon-Jardins” – Marina Lima comprou apê nos Jardins e mudou-se em definitivo para São Paulo, depois de 50 anos no Rio. No próximo show, apresenta música com a versão pauliceia para o seu célebre “Hotel Marina no Leblon”. (por Joaquim Ferreira dos Santos)

5 de Agosto. (Jornal O Globo) “A era do conteúdo” – Atualmente mais poderosas e rentáveis do que as gravadoras, editoras musicais criam novas oportunidades, como CDs, DVDs e até livros, para promover o repertório de artistas de seus catálogos. A EMI Publishing – uma associação do braço editorial da EMI Music com a Coqueiro Verde, gravadora brasileira independente – (…) está livre para trocar projetos com quem quiser, tanto que, nos últimos tempos, também efetuamos muitos negócios coma Sony Music – explica André Pacheco (diretor artístico e repertório e diretor de marketing da EMI Music Publishing), dizendo ser agora a proativa posição das editoras musicais. Não ficamos mais parados, apenas administrando as obras de nossos artistas e esperando que sejam gravadas. A gente tem investido muito, procurando criar novas oportunidades, promovendo o nosso repertório. A editora tanto promove seus principais compositores quanto incentiva que novos intérpretes lancem discos baseados no catálogo da EMI Publishing. A editora também está por trás do DVD “Primórdios”, de MARINA LIMA, gravado ao vivo há três anos no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, e que, inaugura um novo formato, livro/DVD. – É um sinal dos novos tempos, afinal, o público da Marina não a consome no supermercado – explica Pacheco, de olho no circuito de livrarias, atualmente o principal canal para a comercialização de determinados tipos de produção musical. (por Antônio Carlos Miguel)

Setembro. (Livrariasaraiva.com.br/Siciliano.com.br/Submarino.com.br) CD Dois Gênios: Rita Lee & Mariana Lima – A Warner preparou esta super novidade que vai deixar você de queixo caído! Duas cantoras modernas, roqueiras, que lançaram sucessos até hoje cantados pelos amantes da música pop nacional. Rita Lee é paulistana, descendente de americanos, e desde cedo foi uma menina rebelde até ingressar no final dos anos 60 no grupo “Os Mutantes” com os amigos e irmão Arnaldo e Sérgio Dias Baptista, fazendo deste um dos grupos mais influentes do rock nacional e internacional. Marina é da geração de cantoras que fez sucesso nos anos 80, misturando atitude roqueira e músicas de apelo pop. Dona de uma voz sensual e meio rouca, ela morou um tempo nos EUA, antes de voltar de vez ao Brasil, onde, no final da década de 70, teve música sua gravada por Gal Costa e lançou seu primeiro trabalho. Não perca!

17 de Setembro. Marina Lima completa 55 anos de vida.

Lançamento da nova versão do site O ENCANTO DE MARINA LIMA, que  agora está com novo endereço. Confira as novidades, acessando https://encantodemarina.wordpress.com

(Virgula.uol.com.br) “Marina Lima comemora seus 55 anos à francesa” – Marina Lima é a mulher que ensinou toda uma geração a olhar diferente o hotel carioca – que tem o seu nome – acender no pôr-do-sol . Ninguém mais ficará inocente, seja no Leblon seja nos Estados Unidos onde passou sua infância. Fomos todos desvirginados de alguma forma nos anos 80 por essa virginiana que completa 55 anos, nesta sexta-feira (17). E como uma pessoa “low profile”, segundo sua assessoria, ela resolveu ir à academia, isto é, vai comemorar seu aniversário à francesa. Na madrugada de quinta para sexta, ela postou no Twitter: “Gente, super obrigada!! To muito feliz! To em SP, cercada d amigos queridos e vcs que me dão força!! Muito obrigada mesmo!” sem citar a data, mas para bom entendedor basta. Marina sempre tem uma novidade “tímida” como seu jeito. Acaba de se mudar para São Paulo, em Higienópolis e já está sofrendo com o clima super seco que tomou conta da cidade no tempo da estiagem. Já pediu para os amigos da cidade dicas de onde comprar um umidificador e de como chegar na Ellus. Agora, ela não tem mais por perto o hotel carioca que tem seu nome como guia, mas ela continuará ainda guiar toda uma geração “fulgás” durante muito tempo. Parabéns! (por Vitor Angelo)

(O Fuxico.com.br) “Mayana Moura solta a voz em evento de moda” – Mayana Moura deu uma canja musical durante a festa de lançamento da coleção Thundercats – Ellus 2 ns Floor e Warner, na noite de quinta-feira (16), em São Paulo. O evento, que misturou música e moda, aconteceu na badalada rua Oscar Freire, na região dos Jardins. A atriz, que em Passione, da Globo, interpreta a estilista Melina Gouveia, animou convidados como MARINA LIMA e Bárbara Thomas que também estiveram por lá. Durante a performance, Mayana intercalou diversos instrumentos.

26 de Setembro. (Gente.ig.com.br) “Luana Piovani recebe Glória Menezes e Marina na estréia de musical em SP” – A atriz Glória Menezes e a cantora Marina Lima voltaram a se sentir criança na tarde deste domingo (26). Elas estavam na plateia do musical infantil “O Soldadinho e a Bailarina”, estrelado pela atriz Luana Piovani. O espetáculo, que já foi apresentado em palcos cariocas, estreou hoje em São Paulo com uma sessão exclusiva para convidados no Teatro Procópio Ferreira.

27 de Setembro. (O Fuxico.com.br) “Luana Piovani comemora musical ao lado do namorado” – A graciosidade de Luana Piovani no espetáculo O Soldadinho e a Bailarina encantou muitos famosos. Neste domingo (26), a atriz lançou o musical infantil no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, e foi aplaudida por representantes da classe artística como as atrizes Glória Menezes e Luisa Thomé, além da cantora Marina Lima. (por Marina Forte)

8 de Outubro. (Revista Caras) “Clube Nextel em SP” – A cantora Maria Gadú fez show no Clube Nextel, no BurtiHD, em SP, que teve participações de nomes como Luis Kiari e Caetano Veloso. (…) Marina Lima esteve no badalado evento. “Vim para ver Caetano e Gadú, a quem adoro”, diz a musa pop, às voltas com o novo CD, Clíumax.

9 de Outubro. (Colunistas.ig.com.br) “DJ Zé Pedro recebe amigos no Rodeio para jantar de aniversário” – Na sexta-feira (08), o DJ Zé Pedro iniciou as comemorações de seu aniversário com um jantar no restaurante Rodeio, nos Jardins, em São Paulo. Entre as convidadas estavam presentes Marina Lima e Monique Gardemberg. (por Vivi Mascaro)

19 de Outubro. (Blog MTV Belém) “MTV Brasil celebra 20 anos de história com mega festa no Rio de Janeiro” – Com toda a programação respirando o clima do grande aniversário da Music Television do Brasil, não poderia faltar um grande evento para coroar tantos anos de sucesso. Tudo está sendo super planejado pra que a comemoração dos 20 anos seja exatamente no mesmo dia em que  MTV entrou no ar pela primeira vez no Brasil, com nada mais nada menos que o clipe de Marina Lima cantando a perpetuada “Garota de Ipanema”! O local escolhido é a cidade maravilhosa: o Rio de Janeiro. E a MTV Belém também estará presente nessa festa, muito bem representada pela nossa Diretora Stefânia Costa, que vai até o Rio pra conferir tudo de perto! Na programação, Cazé, Marina Person e Didi vão contar todas as novidades, diretamente do Rio de Janeiro com flashes ao vivo a partir das 21h e das 23h30 à 1h da manhã a audiência confere também, por uma hora e meia ao vivo, o show. A celebração, que acontecerá no Armazém 2, no  Pier Mauá, será um encontro memorável dos VJs atuais da MTV com todos que já passaram pela casa, afinal todos fazem parte dessa história! A música será a estrela principal da noite, e para tal, a MTV está preparando dois mega shows para a noite com a apresentação de bandas e grandes encontros de artistas que irão relembrar os principais momentos musicais dessas duas décadas. Se liga só em quem vai se apresentar por lá: Caetano Veloso e Marina Lima cantando “Garota de Ipanema” em homenagem ao primeiro clipe exibido pela MTV. Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Diogo Nogueira seguem com “Deixa a Vida Me Levar”, Fresno e Chitãozinho e Xororó  com “Evidências”, Dinho, Kiko Zambianchi com “Primeiros Erros”, Frejat  segue com “Amor Para Recomeçar”, Mallu Magalhães, George Israel e David Moraes com “Shine Yellow”, Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra com “Essa Mulher”, Skank com “Vou Deixar”, Falcão e Liminha com “A Minha Alma” e a primeira parte encerra com Paralamas do Sucesso com “Ela Disse Adeus”. Uma pausa de meia hora pra recuperar o fôlego e a música volta à cena com Pitty cantando “Me Adora”, Fernanda Abreu e Donatinho com “Rio 40 Graus”, Jorge Benjor, Caetano Veloso, Andreas Kisser e David Moraes com “Ives Brussel”, Otto, Fred 04, Bacteria, Jorge Dupeixe e Andreas Kisser com “Manguetown”, Branco Mello e Andreas Kisser com “Flores”, Nx Zero com “Razões e Emoções” e o show encerra com Jota Quest cantando “Do Seu Lado”. Ufa! (…) Também até sexta, às 10h, o MTV Ano a Ano, segue relembrando o que aconteceu em cada ano de vida da MTV. Nessa semana de aniversário, a série mostra os clipes, programas e vjs mais marcantes dos últimos 5 anos de nossa história: 2006, 2007, 2008, 2009, 2010. Então cola na sua tv e não perca um momento dessa grande celebração! (postado por MTV Belém)

20 de Outubro. (Jornal O Globo) “O mês é outro” – Marina não canta com Caetano hoje, na festa MTV. Houve confusão de data e ela assumiu outro compromisso. “Tinha certeza que o show era 20 de novembro, não outubro”. (por Joaquim Ferreira dos Santos)

(Portaladtv.com.br) “MTV Comemora 20 anos com mega festa no Rio de Janeiro” – A MTV Brasil promove, no próximo dia 20, quarta-feira, uma grande festa para ficar na história da emissora. A comemoração dos 20 anos será exatamente no mesmo dia em que  MTV entrou no ar pela primeira vez no Brasil, com nada mais nada menos que o clipe de Marina Lima cantando a perpetuada “Garota de Ipanema”! O local escolhido é a cidade maravilhosa: o Rio de Janeiro vai ser o palco da festa de 20 anos da MTV Brasil, que acontecerá no Armazém 2, no Pier Mauá. A celebração será um encontro memorável dos VJs atuais da MTV com todos que já passaram pela casa, afinal todos fazem parte dessa história! A música será a estrela principal da noite, e para tal, a MTV está preparando dois mega shows para a noite com a apresentação de bandas e grandes encontros de artistas  que irão relembrar os principais momentos musicais dessas duas décadas. (…) A partir das 21h, a MTV vai transmitir flashes ao vivo diretamente da festa. Cazé, Marina Person e Didi vão contar todas as novidades, diretamente do Rio de Janeiro. Das 23h30 à 1h da manhã a audiência confere também, por uma hora e meia ao vivo, o show. (postado por admin)

21 de outubro. (Gente.ig.com.br) “Rodrigo Santoro e Caetano Veloso vão à festa de 20 anos da MTV” – Há 20 anos entrava no ar a MTV Brasil, primeiro canal voltado apenas para música no país. De lá para cá, o canal se reinventou diversas vezes, mas nunca deixou de lado o foco no jovem e no que ele gosta de ouvir. Para celebrar a data, foi feita uma grande festa nessa quarta-feira (20), no Píer Mauá, no Centro do Rio, que reuniu músicos e artistas como o ator Rodrigo Santoro. “Quando eu era mais novo, era viciado em ficar vendo clipes, mas agora o que mais gosto é o programa 15 minutos, de Marcelo Adnet. É genial!”, contou ele, que lança em 2011 o filme “Heleno”. Se em 1990 o canal deu seu pontapé inicial com Marina Lima, cantando “Garota de Ipanema”, a festa teve Caetano Veloso interpretando o clássico da bossa nova. “Ia cantar com a Marina, mas ela já tinha um outro compromisso. Fico feliz por participar dessa festa porque lembro a primeira vez que assisti ao canal, no EUA, e achei que tínhamos que ter no Brasil também”, disse Caetano, que elegeu os clipes de “Sunday”, do Sonic Youth, “Smells Like Teen Spirit”, do Nirvana e os da cantora Björk como os melhores que já assistiu. (por Luisa Girão, iG Rio de Janeiro)

22 de Outubro. (Contigo.abril.com.br) “Marina Lima: ‘eu me sinto morta’” – Marina Lima é a convidada especial do programa Ensaio, que vai ao ar neste domingo (24/10/2010), às 23h, na TV Cultura. O apresentador Fernando Faro recebe a cantora, que fala sobre sua vida, a depressão, a carreira e mostra os sucessos que mais marcaram sua trajetória e a história da música brasileira. Marina cresceu nos Estados Unidos, onde viveu por oito anos. Nesse período ganhou um violão do pai para minimizar a saudade que sentia do Brasil. “O violão foi o meu escudo, meu abrigo do choque ‘térmico’ e cultural que senti quando cheguei lá”, conta Marina. “Sair do Rio e chegar em Washington D.C. com 12ºC abaixo de zero, não foi fácil”, lembra a cantora. A cantora de Fulgás também comenta o fato de ter superado a depressão que a afastou dos palcos anos atrás. “Eu me sentia morta. Depressão é um negócio muito chato, eu não queria cantar e cantar não tem a ver com depressão, cantar é uma alegria”, conta Marina. “Eu estava muito triste e, nessa medida, eu perdi a voz, não é uma coisa física, de voz, das cordas vocais… nada disso. Era totalmente emocional. Fiquei mal um tempo, mas você se cura e fica boa. E eu fiquei”, revela na entrevista. (por Redação Online)

1º de Novembro. (Estadão.com.br/Cultura) “Essa cidade me faz ver o mar” – Eleitora de Dilma porque gosta de Lula, Marina Lima não descarta votar em Serra no futuro. “Agora conheço São Paulo.” A cantora se considera hoje uma quase paulistana. Mudou-se para São Paulo depois de 50 anos no Rio, onde nasceu. Ainda não conhece os caminhos da capital paulista. Ao procurar o principal parque da cidade acabou sendo levada pelo GPS na direção de um outro Ibirapuera. Mais precisamente, o de Barretos, mas quando viu o pedágio se deu conta e voltou. O GPS da cantora hoje se volta para a orientação interna. Superou as turmas, os bandos, que a incomodavam no Rio, e se ocupa de temas essenciais como cabala, cultura e, claro, música. Revela algo sobre sua carreira que nunca disse antes. Para se livrar do carma de ter que seguir o figurino das estrelas que vieram antes dela, como Gal Costa e Bethânia, Marina teve que “quebrar o lápis” e se reconstruir, depois de um período de depressão. “Precisei parar de alguma maneira para achar o direito de ser eu”. Produtiva, está à beira de lançar CD, DVD e show do novo trabalho chamado, não à toa, de Clímax. O anterior foi Lá Nos Primórdios, feito há quatro anos. Instalada em Higienópolis há pouco mais de um mês, compara seu apartamento a uma casa de campo, acaba de compor uma canção chamada #SPFeelings e diz que vê ondas em São Paulo: “Essa cidade me faz ver o mar”. A cantora, que controla a alimentação há 20 anos, tenta resistir às delícias epicuristas da megalópole, mas foi flagrada recentemente no restaurante Vicapota, dividindo pizzas com amigos no domingo à noite, já como uma verdadeira paulistana. (por Paula Bonelli/DIRETO DA FONTE – O Estado de S.Paulo)

5 de Novembro. (Revista Hola! Brasil) “Marina Lima – a mais cool das cantoras fala sobre sua vida e seu novo trabalho” – A respeitada revista HOLA! Brasil, dedicada à intimidade e ao sucesso de personalidades de diferentes áreas, a pioneira do gênero, traz este mês uma entrevista de seis páginas com a cantora Marina Lima.

8 de Novembro. (Glamurama.uol.com.br) Nesta segunda cedo, no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, Sarah Oliveira, Esmir Filho, MARINA LIMA e Guga Kuerten, todos convidados do show de Paul McCartney, de malas prontas para deixar a cidade.

(Blog N9VE) “Paul McCartney: um show histórico” – Histórico, histórico, histórico!!! Essa é a melhor palavra para descrever o show de Paul McCartney, em Porto Alegre. A cidade nunca mais será a mesma, e quem assistiu ao espetáculo do ex-Beatle no Beira-Rio nunca mais esquecerá o que viveu por lá. Cada música, cada comentário do Sir McCartney ficará na memória dos cerca de 50 mil pessoas que lotaram o estádio. Siiim, foi um show hitórico e inesquecível. E é claro que o blog acompanhou tudo direto da Emotion Club. Por lá, vários artistas, celebridades e VIPs curtiram tudo de pertinho – e em grande estilo… Músicos na plateia VIP: MARINA LIMA e Candé Salles, Fernanda Takai e John Ulhoa e Kleiton & Kledir. (por Cláudia Ioschpe)

14 de Novembro. (Revista RG Vogue) A revista RG comemora sua centésima edição cheia de novidades! Destaque para a capa, estrelada pelas social stars ou em bom português, mulheres “lindas, divertidas, independentes e um tanto intangíveis, que não se enquadram em nenhum rótulo e dão o tom por onde passam” conforme mencionado na abertura da matéria que descreve o perfil destas mulheres, escolhidas pela equipe da RG para celebrar a edição – MARINA LIMA, Ana Paula Junqueira, Alix Duvernoy, Christiana Neves da Rocha e Donata Meirelles, Luciana Gimenez, Jana Rosa, Paola de Orleans e Bragança e Cris Barros. (autor desconhecido)

26 de Novembro. (GNT.Globo.com/conexaodireta) “Conexão Direta: Marina Lima constata que o público a conhece bem” – No próximo “Conexão Direta”, que vai ao ar nesta sexta (26), às 23h, Sarah Oliveira vai à casa da cantora Marina Lima para saber se as impressões que as pessoas têm dela realmente condizem com a realidade. O público acha Marina uma pessoa intimista, determinada, poderosa, de personalidade forte, atual e bem-resolvida. Mas alguns participantes acreditam que a cantora seja um pouco reclusa. “Eu sou mais quieta, eu não gosto de ocupar qualquer espaço por ocupar. Acho que é importante ter o que dizer”, concorda. Sobre a vida em São Paulo, Marina diz que foi uma escolha mútua. “São Paulo me acalma, eu já tenho uma coisa muito para dentro, São Paulo me puxa para fora”, revela. Em uma seção de biografias, a maioria das pessoas acerta na escolha de livros que a artista leria. Um participante aposta que a história de Edith Piaf interessaria à cantora, mas a de Lady Gaga passaria longe de sua prateleira. Marina concorda: “Acho que está muito cedo para ela ter uma biografia, a impressão que eu tenho é de que ela é uma tradução, quase que uma instalação, do que o mundo pop se tornou”. Já em uma loja de sapatos, o número de acertos é menor. Marina, por exemplo, adora usar sandálias coloridas, mas dispensa a bolsa dourada e os calçados com tiras. “Sandália com tira deve incomodar”. Em uma pizzaria, o público acha que a artista deve ser mais natureba e os sabores mais citados são os com cogumelos e rúcula. “Eu não gosto de rúcula, pizza já é uma loucura, então que seja com calabresa”, revela. A última parada é em um salão e um participante acerta em cheio no visual que Marina nunca adotaria cabelos loiros. “Eu fiquei muito feliz de ver, as pessoas perceberam um pouco da minha personalidade, é bom fazer amigos assim”, brinca a cantora.

30 de Dezembro. (Rádio UOL) “Marina Lima” – “Uma Noite e 1/2”, “Me Chama”, “Fullgás”, “Garota de Ipanema”, “Ainda é Cedo” e outros sucessos de uma das maiores estrelas do pop brasileiro. http://www.radio.uol.com.br/editorial/marina-lima?cmpid=clink-rad-pl