1995

8 de Abril. A cantora Marina Lima foi conferir, no “Segundo Búzios Cine Diners”, a projeção, em praça pública, de filmes nacionais – inéditos.

17 de Maio. (Jornal O Globo) Marina começa a gravação de um disco e afirma que vai deixar temporariamente de lado a compositora para investir principalmente na intérprete e violonista. O repertório do novo álbum não se restringirá a canções inéditas de compositores jovens: “Também estou gravando músicas conhecidas. Na verdade, este será um disco das canções que eu gosto e que adoraria ter escrito. E uma das coisas mais importantes é que estarei tocando muito violão neste trabalho.” (autor desconhecido)

2 de Agosto. (Jornal do Brasil) “Marina com classe” Marina Lima, diva do pop nacional, está finalizando a etapa nacional de seu novo disco. Ela tem chegado ao seu “laboratório de criação”, o estúdio Nas Nuvens, com ótimo astral, distribuindo sorrisos com a confiança de quem está prestes a lançar um trabalho com sua marca pessoal. O Jornal do Brasil, com exclusividade, garimpou boa parte de seu repertório, que ainda vai receber voz definitiva. É um disco de intérprete, onde predomina a mescla de novos compositores – como Paulinho Moska e Christian Oyens – com nomes consagrados, como o maestro Tom Jobim e Rita Lee. (por Braulio Neto)

10 de Agosto. A cantora Marina Lima embarca para Los Angeles, onde irá mixar seu novo trabalho sob a direção de João Augusto, da própria EMI, que divide a produção com Liminha.

29 de Setembro. (Jornal O Globo) Marina Lima diz que reuniu em “Abrigo” canções que gostaria de ter feito. O disco, que será lançado dia 30 de Outubro, traz músicas de autores como Tom Jobim Irving Berlin. “É ter e dar abrigo para grandes canções, que, brincando, digo serem minha melhor safra, escreve a cantora no encarte de “Abrigo”, texto que O Globo publica em primeira mão. (por Helio Hara)

28 de Outubro. (Jornal O Dia) Pela primeira vez em 16 anos de carreira, Marina gravou um álbum inteiro sem composições suas (…) “Abrigo” por Marina Lima: “Há tempos eu pensava em gravar um disco só como intérprete, mas ao contrário de ‘O Chamado’, que falava de perdas, desta vez eu queria cantar coisas boas, para cima. Como não me sentia preparada para abordar esse assunto, peguei emprestadas músicas que gostaria de ter feito. Tem desde a timbalada “Beija-flor” até “Carne e Osso”, gravada pelo Picassos Falsos nos anos 80.” (autor desconhecido)

30 de Outubro. Marina Lima, ao vivo, na Globo FM (92,5). Entrevista exclusiva, com apresentação de músicas do recém-lançado disco, “Abrigo”.

5 de Novembro. (Revista ZH/Porto Alegre) “Marina oferece Abrigo” – Ipanema serve de cenário: Ceasar Park Hotel, 19º andar, quatro metros quadrados de janela de frente para a praia. Pernas encolhidas sobre o sofá, Marina Lima, 40 anos recém-completos, fala sobre abrigo. A cantora e compositora carioca cita Nietzshe, “protegido em seu isolamento”, Freud, “sozinho com seus cachorros”, e outros bichos. “A procura de um abrigo é instintiva”, diz. “Não é fraqueza, mas necessidade.” Marina pensou em “Abrigo” quando procurava um nome para o seu novo disco, o 12º em 16 anos de carreira e o primeiro em que não se ouve nenhuma composição assinada por ela. “No momento em que canto canções de outras pessoas, essas canções me dão um pouco de abrigo” filosofa. “Ao mesmo  tempo, dou  abrigo  a  elas.” (…) O projeto de um disco em que Marina seria apenas intérprete era sugestão antiga do produtor Nelson Motta, mas não faz parte de uma opção definitiva. “São coisas temporais”, diz. “Escolhas de momento.” A voz delicada, entre o rouco e o fanho, anuncia que ela não ambiciona o título de estrela. “Quero apenas poder existir, cantar o que quiser quando me der vontade.” (por Eduardo Veras – Enviado Especial/Rio)

Dezembro. (Revista Sui Generis) “Marina Livre” – Mexe daqui, avisam que Marina está em Nova York. Remexe dali. Cristina foi pra Paris. E, de repente, alguém descobre: Gente, Marina e Cristina estão de volta e estão no Rio! Não é possível… Agora é o Zeca que está em Nova York!? Assim as semanas se passavam e parecia impossível juntar Marina Lima,  Cristina Franco e Zeca Camargo para nossa entrevista de fim-de-ano. A própria Marina, tranqüila, foi quem deu o veredicto: “vai dar pessoal, vamos tentando até todo mundo poder”. E num desses sábados de Outubro, finalmente, todo mundo pôde e a entrevista aconteceu no Salão Debret do Hotel Glória, no Rio. São páginas de um hipe papo com nossa estrela maior: Marina Lima. Que está feliz por lançar seu “Abrigo” e pronta para lutar pela voz (e pela vez) da mulher. Com suas próprias armas. (por Cristina Franco e Zeca Camargo)

17 de Dezembro. (Jornal do Brasil/Domingo) A lista de “entrega” ‘Domingo’ comete hoje aquela pequena indiscrição de entregar quem esteve elegante ou deselegante neste ano de 1995. A cantora  Marina  Lima  entrou  no  4º  lugar  na lista das  10  mais  elegantes.  Nem  luxo,  nem lixo, ela é a medida certa de elegância. (autor desconhecido)

Anúncios