1992

24 de Janeiro. (Jornal O Globo) “Marina de frente para o mar” – Enquanto o Canecão não vem, Marina faz show em Macaé. A cantora é a estrela de hoje do Fest-Verão 92, promovido pela prefeitura local. Os organizadores foram obrigados a adiar a apresentação marcada para sábado passado por causa das fortes chuvas que caíram no município. Mas desta vez, com a colaboração de São Pedro, o show está confirmado: hoje, às 22h, na praia de Macaé. (por Paulo Ricardo Moreira) 

Fevereiro. (Argosfoto.com.br) Rio de Janeiro, RJ, Brasil Fev/1992. Marina Lima, cantora, se apresentando no Canecao do RJ/ Marina Lima is regarded as one of the most successful Brazilian pop music stars. Even though Marina has been labeled as a “pop diva”, she has also made incursions into other music styles, such as jazz, blues and samba. (por Marcos Issa) 

3 de Fevereiro. (Jornal O Globo) “Alternativa chique” – Em time que está ganhando não se mexe. A temporada de três semanas que a cantora Marina estréia hoje no horário alternativo do Canecão (de segunda-feira a quinta-feira) reproduz ao pé da letra o show de lançamento de “Marina Lima” que ela apresentou em outubro do ano passado no Imperator. Depois de passar uma semana de cama com 39 graus de febre – cortesia de uma virose na garganta – ela está feliz com o retorno aos palcos cariocas. É que Marina acha chique o horário alternativo do Canecão. Enquanto Roberto Carlos lança seu mais recente disco ocupando a cervejaria de Botafogo de quinta-feira a domingo, ela pode receber seus amigos artistas no início da semana. (por Luiz Henrique Romanholli) 

16 de Fevereiro. (Informe JB) A cantora Marina foi indicada pela Associação Paulista de Críticos de Artes para o melhor disco, “Marina Lima”, o melhor show e a melhor música do ano, “Grávida”, sua parceria com Arnaldo Antunes, do Titãs. (autor desconhecido) 

22 e 27 de Fevereiro. (Jornal do Brasil) Show com a cantora Marina Lima, acompanhada por banda, na praia do Arpoador, em Ipanema. Homenagem aos 427 anos do Rio de Janeiro (comemorados no dia 1º de março). Quando ela soltar a voz e o estilo inconfundível ecoar no espaço, na areia, nas ondas, nas pessoas, vai ser fácil entender porque Marina é a musa o som carioca de tantos verões. E porque é justamente ela quem está ali para cantar e encantar a Cidade Maravilhosa, Rio de 427 janeiros. Marina e o Arpoador. Uma dupla mais que perfeita pra o abraço maior na cidade paixão de milhões de brasileiros, que neste 92 comemora um aniversário muito especial: ter sido escolhida para ponto de encontro do mundo, capital mundial da ecologia, entre tantas cidades maravilhosas do planeta. A Prefeitura está orgulhosa em homenagear a cidade com um presente tão genuinamente carioca: Marina, jeito único de ser e cantar, corpo e alma abertos ao vento e ao mar do Arpoador. (autor desconhecido) 

29 de Fevereiro. (Jornal O Globo) A Prefeitura decidiu adiar para o dia 8 de Março, às 18h, o show da cantora Marina em homenagem aos 427 anos da cidade, marcado para ontem à noite na praia do Arpoador, em Ipanema. Segundo o coordenador de marketing da Prefeitura, Walter Guimarães, a causa do adiamento foi o vento forte que dificultaria a apresentação. (autor desconhecido) 

9 de Março. (Jornal O Globo) “Marina encanta 25 mil nas areias quentes do Arpoador” – A escolha do dia para se comemorar o 427º aniversário do Rio de Janeiro não podia ter sido mais feliz. Foi um domingo de muito sol e céu azul e a carioca Marina no Arpoador, num fim de tarde dedicado à cidade. Ela contagiou o público estimado em 25 mil pessoas, que cantavam, dançavam e brincavam nas areias ainda quentes, muitas ainda de roupa de banho. Marina chegou às 18h50m num táxi especial, cercada por dez seguranças que abriram-lhe o caminho entre dezenas de camelôs e o público que lotava o calçadão. (por Herman Nass) 

18 de Março. (Revista Veja SP) “Marina em estado de graça” – Quando estreou na cidade, em dezembro do ano passado, “Marina Lima” foi um sucesso estrondoso. Nem ela mesma esperava. “O Palace me queria por três ou quatro semanas”, lembra. “Como boa virginiana, porém, resolvi fazer apenas duas.” Não se sabe o que uma coisa tem a ver com a outra, mas ela voltou para dar o troco. O show produz ipsis litteris as apresentações de 1991, é uma produção requintada, com luz de Maneco Quinderé e oito das dez canções do disco “Marina Lima”, já na marca das 102.000 cópias vendidas. Disco e show revelam uma maturidade estonteante. A cantora/compositora ousa em canções difíceis de executar como Não Sei Dançar, mas escorrega ao permitir que sua banda, de resto afinadíssima, “leia” Little Wing, de Hendrix, como um jazz-rock empapado. (…) Logo no primeiro número – Ela e Eu cantada à capela -, Marina dá cores fortes à música de Caetano. Em seguida emenda a ótima Grávida, finalmente uma boa letra de Arnaldo Antunes. Sobra espaço para Emoções, de Roberto Carlos, Me Chama, Fullgás e a velha O Lado Quente do Ser. O bis é na mosca: Criança, um dos maiores sucessos da cidade nos dias que correm. (por Paulo Vieira) 

19 de Março. Marina fica somente até domingo (22) com o seu show “Marina Lima”, no Palace; hoje começa às 21h30. 

3 de Maio. (Jornal O Globo) Vera Fisher e Silvia Pfeifer fazem pose ao lado da cantora Marina Lima, no intervalo das gravações da novela Perigosas Peruas. 

(Jornal do Brasil/TV Programa) “Cantora faz ponta em novela” – A cantora Marina pensaria muito antes de conceder entrevistas se a cena de Perigosas Peruas, que vai ao ar na quinta-feira (07), fosse fato rotineiro. Em mais um capítulo da guerra particular de Leda (Silvia Pfeifer) e Cidinha (Vera Fisher), Marina terminou envolvida em uma briga onde as duas rivais rolaram pelo chão entre tapas e safanões. Toda a confusão foi causada porque o editor de Cidinha e Leda enviou as duas para a mesma reportagem com a cantora. O convite para a participação especial da cantora partiu do diretor da novela, Roberto Talma. Marina conta que só aceitou o seu primeiro papel devido à sua amizade com Talma e as duas atrizes envolvidas na cena. “É tudo brincadeira”, acrescentou, encerando as especulações de que poderia aceitar outros convites. “Me sinto uma canastrona”, justificou. (autor desconhecido) 

15 de Maio. (Jornal Diário da Tarde/BH) “Marina quer provocar” – O Rio de Janeiro já teve muitas caras. Mas, nos anos 90, quem melhor traduz essa marca é, sem dúvida, a carioca Marina Lima. Cria da avenida Vieira Souto, essa morena bonita, ambígua e sensual é o que se poderia chamar de uma nova garota de Ipanema, acrescida de ingredientes indispensáveis aos novos tempos. Musa de todas as estações, ela chega a Belo Horizonte em pleno outono para mostrar a sua mais recente incursão nos palcos, em cartaz há oito meses, com temporadas de sucesso. Trata-se do show “Marina Lima”, resultante de seu 10º LP, homônimo, lançado no ano passado. Acompanhada do baixista Mu (ex-Cor do Som) e Márcio Miranda (teclados), Cezinha (bateria), Aurélio Dias (baixo), Fernando Vidal (guitarra) e P.C. (sax e vocal), Marina faz duas únicas apresentações do espetáculo no Olympia hoje e amanhã, às 23 horas, onde, além das canções do disco, deve brindar a platéia com sucessos. (por Ailton Magioli) 

22 de Maio. (Jornal O Globo) “Uma garota de Ipanema faz a travessia de Milton na Rio-92” – Milton Nascimento quase teve um “ataque” – a expressão é dele – no Canecão quando ouviu Marina cantar a balada “Não Sei Dançar” no show “Marina Lima”. O cantor define o número como um “momento mágico” e diz que, desde então, ficou com vontade de cantar a música. Esse desejo será satisfeito por Milton no show de abertura da Rio-92, programado para o dia 30 de maio, às 16h30m. “Eu Não Sei Dançar” é uma das três músicas que ele cantará em dueto com Marina no “Show da Terra”. De autoria de Alvin L., a balada foi ensaiada pelos dois na noite de anteontem, no estúdio Existe um Lugar, no Alto da Boa Vista. “Travessia” e “Acontecimentos” são os outros dois números ensaiados pela dupla. “Acontecimentos” foi idéia da própria cantora, que já chegou com a proposta no primeiro encontro dos dois, realizado semana passada na casa de Milton. Já “Travessia” foi uma sugestão de Antônio Cícero, irmão de Marina. Milton e Marina ainda pensaram em entoar “Canções e Momentos”, mas acabaram optando pelo primeiro sucesso do cantor. (por Mauro Ferreira) 

29 de Maio. (Jornal do Brasil/Programa) “Rio-92 começa com show” – Milton Nascimento tira o boné para a Rio-92 e inaugura a temporada ecológica na cidade neste sábado, às 15h30, comandando um supershow com entrada franca. Ele canta com MARINA, Pablo Milanés, Lô Borges e Chitãozinho e Xororó em um espetáculo apoiado pela cenografia de um dos mais famosos cartões-postais do mundo: a enseada de Botafogo.(por Mônica Maia) 

Fábio Fonseca, um dos melhores produtores do país, lança seu primeiro disco. O título é “Tradução Simultânea”, e traz a participação de vários artistas do cenário pop brasileiro; entre os convidados está a cantora Marina Lima, que divide com o produtor a faixa “Ladrões de Bagdá”. 

3 de Junho. Marina Lima é a convidada do programa “Invasão da Cidade”  (Rádio Cidade FM 102,9). A cantora, além de responder às perguntas dos ouvintes e distribuir discos autografados, toca ao vivo nos estúdios da rádio as músicas que fazem parte do repertório do show que faz pelo Brasil. 

17 de Julho. (Jornal O Estado de São Paulo) Neste fim de semana tem show com o pop sofisticado de Marina adaptado ao grande espaço do Ginásio do Ibirapuera. A cantora volta à cidade para uma única apresentação do show que tem por base seu último disco, “Marina Lima”, lançado no ano passado. “Foram feitas algumas alterações cenográficas, pois certas coisas não funcionariam nesses grandes espaços”, diz Marina, que já correu o Brasil com o show e decidiu fazer um show em ginásio para dar chance às pessoas que não têm condições de pagar ingressos em  teatro.  Outra adaptação em função do local é no repertório. Algumas músicas lentas cedem a cações mais agitadas. Sem intenção de gravar disco este ano, Marina toca no Canadá e Estados Unidos em agosto. (por Jimi Joe)

17 de Setembro. Marina Lima, que completa 37 anos hoje, se desentende com o gaitista internacional, Toots Thielemans, e cancela sua apresentação na noite brasileira do “Free Jazz Festival”.

19 de Novembro. Marina Lima faz uma apresentação, não muito boa, em sua estréia na França, para um teatro ocupado por sua maioria de brasileiros.