1986

7 de Abril. (Jornal Zero Hora) “O sucesso da moderna Marina” – Alegre, sensual, supercomunicativa, guitarra em punho à frente de uma banda com cinco integrantes. É Marina, que lotou duas vezes o Teatro da Ospa, em Porto Alegre, e confirmou, com um show de grande punch, que é a cantora preferida de uma parcela significativa da juventude brasileira. (…) A produção do show, mesmo correta (iluminação muito boa), poderia valorizar ainda mais o trabalho, mas nesse caso entra a história da estrela, o show teria um custo no mínimo três vezes maior. De minha parte penso que Marina tem tudo para explodir. E merece. Porque ela tem estilo, empatia e ocupa um lugar bem especial. Não é nem uma artista do tipo mais tradicional, como Simone e Gal, por exemplo, nem uma roqueira radical. Marina navega em faixa própria e o sucesso que vem fazendo prova que está no caminho certo. O público é sempre o melhor termômetro. (por Juarez Fonseca)

17 de Maio. (Jornal da Bahia) “Marina canta e encanta no TCA” – O grande show deste fim de semana para o público baiano fica com a gata Marina, mais madura e se mostrando toda no espetáculo que está correndo algumas capitais brasileiras. Marina chega a Salvador com o mesmo pique de “Fullgás”, de 84. Em “Todas”, que estreou ontem e mantém-se no palco do Teatro Castro Alves ainda hoje e amanhã, a cantora relembra velhos sucessos, interpreta canções do disco homônimo e apresenta algumas novas músicas do disco que grava no meio do ano. Tudo no mais alto astral. (autor desconhecido)

23 de Maio. (Jornal O Estado de São Paulo) “Marina, salada de ritmos e climas” – Faz um bom tempo que Marina não aparece nos palcos paulistanos. Aliás, ela ficou bastante tempo longe de todos os palcos. Logo depois que saiu o seu sexto LP, “Todas”, em Agosto do ano passado, ela resolveu hibernar. Desmarcou sete shows que ia fazer pelo país, trancou-se em casa, pegou o violão e a guitarra e parou tudo para voltar a estudar. Mas, por quê? “Eu tinha que revigorar o trabalho, reciclar a cabeça e trabalhar mais o meu lado instrumentista. Tinha me desgastado muito com o disco  e,  na hora de fazer  ao vivo, faltou energia na minha cabeça.” Há dois meses, quando sentiu que já estava na hora de voltar ao palco, Marina montou uma nova banda – o grupo que a acompanhou durante 5 anos se havia desfeito por causa de um “desgaste na relação”. Chamou os músicos Paulo (guitarra), Renato Rocketh (baixo), Jorjão Barreto (teclado), Sérgio Della Mônica (bateria), Luizão Ramos (sopro). Convocou também seu irmão Antonio Cícero para, com Sérgio Luz, dirigir o show “Todas”, que acaba de ser apresentado em Porto Alegre e interior do Rio Grande do Sul, em Salvador, e que estará de hoje a domingo no Projeto SP, com ingressos a Cz$ 60,00 (…) Preparem-se para ouvir músicas antigas e também composições deste último disco, que traz uma Marina bem diferente da que estourou com o LP “Fullgás”. “Este disco muda bastante com relação ao ‘Fullgás’. É mais difícil, mais rebuscado. Eu acho que o tempo dele é esse mesmo; uma coisa mais calma, mais aprofundada, que as pessoas têm de ouvir aos poucos”. É um disco diferente, mas que guarda em comum a atitude que Marina e Antonio Cícero vêm tomando desde os trabalhos mais antigos. (por Lisa de Oliveira)

(Jornal Folha de São Paulo) “Marina mostra ‘Todas’ no Projeto SP” – Depois de dois anos sem se apresentar em São Paulo – a última vez foi no Circo Mágico -, Marina estréia hoje (dia 23) no Projeto SP (zona central da cidade), com o show “Todas”. A cantora, que se apresenta até domingo na nova casa noturna paulistana, interpreta músicas de seu último LP (que tem o mesmo nome) e outras que considera “marcantes” em sua carreira, como “Fullgás”. Nesse show Marina canta também três músicas inéditas:  “Põe Pra Fora”, que fala da sua relação com a música e com os músicos; “Pra Começar”, sobre a necessidade de construir tudo de novo depois da decadência da pátria, da religião e da família; e “Eu Negar”, que ela não tem certeza se apresentará nessa temporada. A direção é de Sérgio Luz e Antonio Cícero, e a produção, de Otávio Pinto Neto, do Projeto SP. (autor desconhecido)

12 de Junho. (Jornal O Globo) “A sensualidade e talento de Marina enfrentando a Copa” – A cantora Marina – que vem se apresentando nas capitais do País – obteve em São Paulo dois sucessos estrondosos, o primeiro há três semanas, quando superlotou o Projeto SP, com capacidade para mais de duas mil pessoas, e o último no fim de semana passada, no Circo Chique, da Rua Augusta. O segredo do sucesso? Um tripé formado pela sensualidade, talento e sinceridade dessa cantora e compositora que sabe dosar energia com alegria. Na retaguarda, uma banda compacta, mas suficiente. É bom dar um quadro do sucesso de Marina. Ela vem de temporadas consagradoras em Salvador e Porto Alegre. Na última sexta-feira, tinha como concorrente a animada festa que a torcida brasileira fez na Avenida PAulista, par comemorar a magra vitória de nossa Seleção sobre a Argélia. Mesmo assim, levou mais de mil pessoas pra debaixo da lona do Circo Chique. (…) Os cariocas terão que esperar a Copa do Mundo terminar para ver Marina. Ela estréia no Canecão na última semana de julho, devendo ficar até a primeira semana de agosto. (por Antonio Mafra)

20 de Julho. (Jornal do Brasil/Domingo) “Marina sedutora” – Aos 30 anos, Marina está celebrando a melhor fase de sua carreira. Está mais bonita, mais elegante, com os cabelos lisos e dando mais atenção à arte de cantar que à de compor. “Cantar é seduzir”, imagina, associando seu trabalho ao de uma sereia. A partir de quarta-feira (dia 23), quando inicia sua primeira temporada no Canecão – o templo carioca da música brasileira que costuma consagrar os artistas que lá se apresentam – estará pronta para seduzir 2 mil e 400 espectadores por noite. “Tem um momento em que todo artista percebe que deve dar o grande pulo”, acredita a cantora. Este é o momento de Marina. (por Artur Xexéo)

(Daily Post) Marina – For a short time, only five days, but with a lot of bounce she will perform a repertoire including such music as “Difícil”, “Nada por Mim”, “Fullgás”, “Ainda é Cedo”, amongst others. Marina is accompanied by the musicians: Jorge Barreto (keyboard), Renato Rocketh (bass), Paulinho Guitarra (guitar), Sérgio de La Monica (drums) and Luião Ramos (woodwinds). Canecão. Av. Wenceslau Braz, 215, Phone: 295-3944. Wendnesday July 23rd through Sunday July 27th at 11:00p.m. Tickets: Cz$ 80,00, 100,00 and 120,00.

26 de Julho. (Jornal do Brasil) “Marina, uma diva ainda tímida” – Pisando pela primeira vez mo palco do Canecão, onde fica até domingo (dia 27), a cantora-compositora Marina, cada vez mais gracinha nos 30 anos, ainda precisa, como diz o título da canção, por pra fora. No show ultra bem dosado, que não ultrapassa, sem o bis, uma hora e cinco minutos, faltou o anunciado – por ela própria – grande pulo, a explosão de se soltar no palco. Está certo que o palco do Canecão deve gerar uma certa inibição, mas Marina não precisa ser tão comedida, e pode dispensar um pouco o apoio da guitarra, que está tocando bem mas que não deixa o lado cantora se expandir como deveria… Tudo rolando muito bem (só falta mesmo a explosão), num show que pode ser rotulado de gostoso… Apesar da timidez de Marina, o espetáculo provou que, depois do reinado de Rita Lee, o rock nativo encontrou sua nova diva. (por Diana Aragão)

10 de setembro. (Revista Veja) Obrigada a utilizar-se da ponte aérea Rio-São Paulo no mínimo três vezes por semana por força de seus compromissos profissionais, a cantora Marina acabou por se render a uma fulminante paixão que descobriu durante as horas de espera suportadas no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Trata-se de uma reluzente motoneta Vespa, um símbolo dos anos 50 relançado no Brasil no anos passado, que viu exposta num estande no saguão do aeroporto. Da primeira vez que a viu em exposição, Mariana começou a namorar a idéia de comprá-la. Da segunda, informou-se do preço – 25.000 cruzado – e, finalmente, decidiu assinar o cheque e levá-la para casa.  Nos últimos dias, a Vespa tornou-se o brinquedo favorito da cantora, que tem circulado com ela por toda a cidade. “É impossível resistir a um amor à primeira vista”, brinca ela. (autor desconhecido)

14 de setembro. (Jornal O Globo) Marina, que fez recente temporada no Canecão, e inicia uma turnê de 50 shows pelo Brasil, canta no “Fantástico” a música “Pra Começar”, tema da abertura da novela “Roda de Fogo”. O clip foi gravado ao vivo no Projeto SP e dirigido pela jornalista Valéria Burgos. (autor desconhecido)

19 de setembro. (TV Globo) “‘Chico & Caetano’, novos duetos” – Deitados no palco do Teatro Fênix, Chico Buarque e Caetano Veloso começam mais um programa da série “Chico & Caetano” interpretando a música “Bancarrota Blues”. Em seguida, acompanhado somente de seu violão, Caetano canta “Nobreza” e recebe o primeiro convidado da noite: Djavan. Juntos, eles interpretam “Tanta Saudade” e, fechando o primeiro bloco, Djavan canta “Asa”, de sua autoria. Marina é a segunda convidada e inicia sua apresentação ao lado de Caetano com seu sucesso “Fullgás”. Depois, acompanhada de sua banda, ela apresenta a música de abertura da novela “Roda de Fogo”, “Pra Começar”. O último bloco do programa fica por conta de Chico Buarque e do cantor cubano Pablo Milanés. Com suas bandas, os dois interpretam a música “Como se Fosse Primavera”, seguida da romântica “Yolanda”. Encerrando, Pablo canta “Amo Esta Isla” que, segundo ele, é uma declaração de amor a Cuba. No final, os convidados e os apresentadores do programa interpretam juntos a popular “Guantanamera”.

24 de Outubro. (Jornal Última Hora) “Marina reúne vários sucessos em único LP” – Marina lotou o Canecão e o Projeto SP, em São Paulo, onde arrasou à frente de uma banda com cinco músicos. O clima desses foi registrado no elepê, “Todas ao vivo”, que chega às lojas esta semana, com perspectivas de dobrar a média de vendagem da cantora, que fica em torno de 70 mil cópias por disco.

27 de Outubro. (Jornal do Brasil) “Marina: A música em movimento” – Marina chega ao Disco de Ouro depois de sete anos de carreira, no sétimo LP, “Todas ao vivo”, lançado hoje, sai com uma pré-venda de 140 mil cópias. O reconhecimento definitivo para uma artista que jamais se filiou a qualquer corrente na música popular. (…) Um disco ao vivo não estava nos planos de Marina (“sempre gostei mais de estúdio“, confessa). O contrato com a Polygram estava no fim, e, como ela devia um LP, surgiu a idéia. Mas o contrato foi renovado e o disco ganhou uma nova dimensão. (…) O sucesso avassalador da estréia no Projeto SP (a casa estava lotada com uma hora de antecedência) também se constituiu num fator decisivo para a gravação do disco. (por Luiz Carlos Mansur)

13 de Novembro. (Jornal O Globo) “Primeiro Disco de Ouro para Marina. Com Maria” – No “Cassino do Chacrinha especial de Natal” a cantora Marina vai receber seu primeiro Disco de Ouro. Ela o conquistou com a vendagem do sétimo elepê de sua carreira, o Maria Todas ao vivo, recém-lançado. Para comemorar, a Polygram lhe oferece um coquetel na próxima segunda-feira, no Rio Palace Hotel. (por Hildegard Angel)

“Marina Sexo é Bom! – Todas Ao Vivo”. Produzido por Valéria Burgos e distribuído pela Manchete Vídeo. Marina em ótima forma, em 86, no Canecão (RJ) e no Projeto SP. A banda é OK e o repertório é fino: “Pra Começar”, “Muda Brasil”, Fullgás”, “Ainda é Cedo” (Legião), “Me Chama” e “Noite e Dia” (Lobão) e “Mesmo Que Seja Eu” (Erasmo). Essa boa produção independente só é prejudicada pelas participações de Antonio Cícero e Jorge Salomão, em cuja entrevista, nos bastidores, insistem em proferir frases de efeito (ou simplesmente despidas de sentido) e clichês libertário/sexistas sobre a bissexualidade da cantora. Só mesmo o encanto natural de Marina resistiria a tanta afetação. (autor desconhecido)

23 de Novembro. (Jornal O Globo) “Televisivos festejam prêmio de Marina” – Os amigos televisivos também foram abraçar Marina no coquetel oferecido, à cantora pela gravadora Polygram, comemorando a conquista de seu primeiro Disco de Ouro. “Fiquei muito feliz com esse prêmio. Eu sempre quis ganhar um Disco de Ouro. Espero que venham outros mais”, disse ela. À festa compareceram mais de 500 pessoas. Foi segunda-feira (dia 17), no Rio Palace Hotel, salão Rio de Janeiro. Da TV estavam lá: Maria Zilda, Denis Carvalho e Ângela Figueiredo, Claudia Magno, Regina Casé, além de ‘feras’ da música como Caetano Veloso, Lulu Santos e Erasmo Carlos. Durante o coquetel foi exibido o vídeo “Sexo é Bom ao Vivo”, gravado com Marina nos shows do Rio de São Paulo. Esse vídeo, a propósito, entrou na mostra competitiva do 3º FestRio. (autor desconhecido)

1º de Dezembro. A cantora Marina recebe Disco de Ouro pela vendagem dos mais de cem mil exemplares do disco “Todas ao vivo”.

11 de Dezembro. (Jornal da Tarde/SP) “Marina, morena Marina, foi você que pintou” – Espetáculo curioso aquele presenciado pelos convidados à festa de entrega do Disco de Ouro a Marina no requintado restaurante japonês Suntory, na região dos Jardins, terça-feira (dia 9) à noite. A Polygram tinha convidado o número exato de pessoas, entre 300 e 400… Como trilha sonora, rock internacional e canções da Marina. Quando todo mundo estava empanturrando, rumores e flashes anunciaram a chegada da Marina. Uma surpresa esperava por ela. Não foi um Disco de Ouro e sim de Platina, correspondente a mais de 250 mil cópias de seu mais recente elepê, “Todas ao vivo”, vendidos, que lhe entregaram… (por Jean-Yves de Neufville)

(Revista Somtrês nº 97) “Voando livre, com graça, para o mundo de amanhã” – Marina é chique. No palco, ela vira imã dos olhos, atrai o pensamento de todo mundo… “Não quero ver ninguém no armário…” E deita fora sua poesia cantada, suas iscas espertas, carregando a imaginação de quem a vê para lugares desconhecidos. Os quase oito anos que separam o lançamento de seu primeiro disco até hoje, parecem um mundo de convivência entre ela e seu público. Algo que garante  intimidade para se conversar de perto, canto de ouvido mesmo. Apostando na modernidade,  ela  conquista  a  maturidade. Acreditando no que faz, ela garante a eternidade. (autor desconhecido)

20 de Dezembro. (Jornal do Brasil) Marina, “Pra Começar”. Marina, MPB e Rock. “Ainda é Cedo”, mas ela é o sucesso do momento. Estourando nas paradas e em vendagem, com Disco de Platina e tudo. Marina cada vez melhor como intérprete, instrumentista e compositora. Marina. A estrela que sobe também o Morro da Urca hoje, para fazer o show alto astral de fim-de-ano para os alunos e amigos da Corpore. Tudo como manda a natureza: ao vivo. (autor desconhecido)

28 de Dezembro. (Jornal do Brasil) “Os dez melhores” – Marina – A mais talentosa cantora-compositora de sua geração vê, finalmente, seu trabalho reconhecido pelo grande público, ganhando o primeiro Disco de Platina (250 mil cópias) com a gravação ao vivo do show “Todas”, muito bom. Ainda precisa se soltar um pouco mais no palco. (autor desconhecido)